Visite meu blog

Visite meu blog

Visualização do Blog

Quem sou eu

Minha foto
Rondonopolis, MATO GROSSO, Brazil
O mar para atravessar, o Universo para descobrir, as pirâmides para medir. Tudo existia menos a trigonometria. Construíram-se triângulos, mediram-se ângulos, fizeram-se cálculos e quem sonharia que à Lua se iria? Flor, fruto... Sucessão da natureza. Dois, quatro... Sucessão de Matemática. Quem gosta de Matemática tem de gostar da Natureza. Quem gosta da Natureza aprenderá a gostar da Matemática. O chá arrefece com o tempo, as plantas florescem com o tempo, a Matemática aprende-se com o tempo, a vida vive-se com o tempo. O que é que não é função do tempo? Eram formas tão perfeitas, que na Matemática já tinham uma equação. A sua beleza e harmonia levaram-nos do plano para o espaço e também ao nosso dia-a-dia. Quanto tempo gastou Arquimedes para desenhar retângulos cada vez de menor base, até chegar à área de uma curva? Arquimedes, Arquimedes, que paciência a tua. mas mostraste ao mundo que a Matemática ensina não a dizer: não sei mas a dizer: ainda não sei. Trigonometria, Álgebra e Geometria, tudo junto para complicar. Mas as relações são tão interessantes que até dá gosto estudar. Matemática para que serves? Para dar força e auto-confiança.

Pesquisas Educacionais

Carregando...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Plano de Aulas matemática

EIXO:
NÚMEROS E OPERAÇÕES

OBJETIVO GERAL: Interpretar e produzir escritas numéricas, considerando as regras do sistema de numeração decimal, o valor posicional dos algarismos, a fim de aplicar o conhecimento adquirido na vivencia diária.

Conteúdo A: Função social do numero (Para que serve o numero? Por que ele foi criado?).


Objetivo específico:
Conhecer as transformações no processo da construção do número, respondendo as necessidades humanas, a fim de identificar e compreender a função do numero na sociedade


 

Conteúdo B: Agrupamentos e trocas nas diferentes bases e na base 10.

Objetivo específico: Conhecer diferentes formas de agrupamentos com diferentes bases, a fim de entender que o nosso sistema de numeração atual é um produto histórico.


 

Conteúdo C: Significado de: classificação, seriação, sequência, inclusão de classes e conservação.

Objetivo específico: Compreender o processo de formação do número, a fim de registrar diferentes quantidades.


 

Conteúdo D: Sistema de numeração decimal, valor posicional: unidade e dezena

Objetivo específico:
Entender que os números possuem uma estrutura definida (ordens e classes), a fim de saber ler, escrever e representar diferentes quantidades.


 

ENCAMINHAMENTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS: (INSTRUMENTALIZAÇÃO)

Atividades que possibilitam as trocas (canudinhos, tampinhas, fichas coloridas, etc. Atividades de sistematização do número e numeral (jogo de dominó de números, memória, etc.)

Atividades de cartaz de pregas;

Trabalhar através de ilustração, dramatização, a história da contagem e as diferentes formas de registro de quantidade.

Para enfocar as questões da dimensão histórica é importante que o professor discuta com os alunos sobre o inicio da contagem, enfatizando que a necessidade da mesma se originou com o inicio da agricultura e vivencia em grupo.

Elaborar uma listagem com imagem de contextos onde o numero é utilizado em nossa sociedade e classificar conforme a função exercida ( ex.: numero de casa, telefone, camisa de futebol ( identifica); 1kg de feijão, 21 alunos, 50 reais ( quantifica); 1º lugar, numeração das poltrona de ônibus ( ordena e classifica);


 

RECURSOS: Material sucata, material dourado, escala cuisenaire, jogos didáticos, cartaz de pregas;

Para estudo do professor:

Livros: Os números na historia da civilização – autor: Luiz Marcio Imenes e Marcelo Lelles; Coleção – Vivendo a Matemática, editora Scipione;

A numeração indo-arábica, Vivendo a Matemática, editora Scipione, autor: Luiz Marcio Imenes; Porta Aberta, Editora FTD.


 

AVALIAÇÃO:

A avaliação será feita através de questionamentos orais e observação do desenvolvimento e participação das atividades dirigidas.


 

EIXO: GEOMETRIA

Objetivo geral: Construir a noção espacial, a fim de situar-se e deslocar-se no espaço, tendo consciência do próprio meio em que vive e das formas de representação desse meio, identificando as relações de posição entre objetos, relacionando-os com as formas geométricas. Além de perceber que a forma de ocupação e utilização do espaço está associada às produções humanas em cada momento histórico.

Conteúdo A: Exploração e localização dos espaços próximos (sala de aula, escola, vizinhança) utilizando como referência o próprio corpo e objetos.

Objetivo específico: Orientar-se no espaço escolar, a fim de estabelecer pontos de referencia para interpretar e representar a localização e posição de pessoas e objetos, bem como as formas dos mesmos.


 

Conteúdo B: Significado de dentro, fora, vizinhança, fronteira atrás, na frente, entre e meio, em cima, em baixo, à direita, à esquerda;

Objetivo especifico: Compreender os conceitos relativos a localização, a fim de identificar a posição e o lugar no espaço que cada pessoa ou objeto ocupa.


 

ENCAMINHAMENTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS: (INSTRUMENTALIZAÇÃO)


 

Observação e comparação dos espaços da escola e as formas dos objetos que a compõe.

Visitas a outras escolas do município;

Questionamentos quanto ao posicionamento da escola em relação a espaços próximos e ambientes internos: o que está à frente, atrás, à direita, à esquerda, o que está próximo de, o que está longe de... ;

Fazer um passeio pela quadra da escola, observando as formas que a compõe;

Leitura de imagens de diferentes escolas e em diferentes épocas da historia município. Comparar imagens analisando as formas das diferentes escolas em momentos históricos distintos. A partir disso, questionar: O que permaneceu igual? Que diferenças podemos perceber? Por que houve necessidade de mudança? O que impulsionou essas mudanças?

Produzir maquetes da escola e a partir da maquete localizar os ambientes mais freqüentados pelos alunos.

Após a exploração na maquete partir para as mesmas atividades no registro da planta baixa.


 

RECURSOS:Sucatas, imagens, internet, lápis de cor papel, planta baixa da sala.

AVALIAÇÃO: A avaliação será feita através de questionamentos orais e observação do desenvolvimento e participação das atividades dirigidas.

EIXO: MEDIDAS DE TEMPO

OBJETIVO GERAL: Compreender que o homem se utilizou das medidas de forma arbitraria e, depois as padronizou para que pudessem ser usadas em diferentes situações, por diferentes homens e da mesma forma, a fim de perceber que ele transformou-as a partir de suas necessidades, em diferentes épocas e contextos.


 

Conteúdo A: Duração e seqüência temporal ( dia: manha, tarde e noite, antes, durante e depois; significado de rápido e lento; logo após, muito depois, muito antes, um pouco antes, agora; hoje e amanhã; linha do tempo com fatos da vida do educando;

calendário: dia, semana e mês, ano;

Objetivo específico: Compreender a sequencia temporal e sua forma de organização como uma construção histórica da humanidade, a fim de entender a organização das medidas de tempo nas atividades diárias.


 

ENCAMINHAMENTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS: (INSTRUMENTALIZAÇÃO)

Ações docentes e discentes:


 

Pesquisar sobre a origem das medidas de tempo; Observação e leitura do calendário; relógio (confecção);

Produção de cartazes sobre as atividades realizadas pelos alunos nos períodos do dia, analisando a relatividade do tempo;

Pesquisa com as família sobre o tempo dedicado as atividades de lazer e ao trabalho. A partir dos dados coletados construir de gráficos e tabelas. Analisar de forma crítica os resultados.

Fazer uma legenda no calendário dos dias da semana, meses do ano, feriados, estações do ano. O calendário deverá ser explorado diariamente.


 

RECURSOS: Calendário, relógio, literatura infantil, CDs;


 

AVALIAÇÃO:

Será realizada a partir da observação e desenvolvimento das atividades dirigidas.


 

EIXO: TRATAMENTO DE INFORMAÇÕES.

OBJETIVO GERAL: Interpretar dados apresentados por meio de tabelas e gráficos, de forma quantitativa e qualitativa, a fim de compreender informações relevantes da realidade, percebendo suas transformações e contradições.


 

Conteúdo A: Leitura e interpretação de gráficos.

Objetivo específico: Ler e interpretar dados em tabelas simples.


 

Conteúdo B: Organização dos dados ( com desenhos ou objetos) em tabelas.

Objetivo específico: Construir registros gráficos - desenhos, esquemas, escritas numéricas – como recurso para expressar a organização e sistematização de informações e idéias.


 


Conteúdo C: Esboço de gráficos de barras ou colunas com uso de legendas.

Objetivo Específico: Ler, interpretar, organizar e registrar dados a fim de comunicar, de maneira sistematizada, informações obtidas;

OBSERVAÇÃO

O eixo de tratamento da informação deve ser trabalhado no sentido de ajudar o aluno a aprender a lidar com informações, organizando-as e interpretando-as qualitativamente. A medida que o educando vai familiarizando-se com os instrumentos, o educador deve, intencionalmente, colocá-lo em contato com dados relevantes da realidade social, de forma a contribuir para que faça uma análise crítica da mesma, percebendo suas transformações e contradições.

(Currículo Básico)

Para isto, pode-se iniciar o trabalho com a organização de informações simples que estão a sua volta (cores, número de objetos, número de pessoas organizadas por gênero, altura, profissão) por meio de registros em desenhos, depois em quadros, tabelas e gráficos de diferentes tipos.

Se houver nas escolas as condições para o uso da informática, os educandos poderão ser incentivados a usar esse instrumento para registrar os dados analisados.

Lembramos que estes conteúdos deverão ser trabalhados, durante o ano todo, relacionado com conteúdos das outras áreas do conhecimento.


 

EIXO: NÚMEROS E OPERAÇÕES

OBJETIVO GERAL: Identificar a função do número na sociedade e as transformações do processo da construção do número em função das necessidades humanas.


Conteúdo A: Seriação:
Sucessor, antecessor, ordem crescente e decrescente, decomposição, pares e impares.

Objetivo específico: Compreender a seqüência numérica, a fim de estabelecer diferenças entre os números e que podem ser quantificadas;


 

Conteúdo B: Valor posicional: unidade e dezena e registro de quantidades, leitura e escrita de numerais cardinais, composição e decomposição de números.

Objetivo específico: Entender que os números possuem uma estrutura definida (ordens e classes), a fim de saber ler, escrever e representar diferentes quantidades;


 

Conteúdo C: Cálculo mental e estimativa.

Objetivo especifico: Desenvolver a capacidade do raciocínio lógico matemático


 

ENCAMINHAMENTOS TEÓRICO METODOLÓGICOS: (INSTRUMENTALIZAÇÃO)

Ações docentes e discentes:

Trabalhar com material sucata para fazer atividades de seriação, classificação (separar por cores, tipo de material etc.) e conservação de quantidade.

Jogo dos dados numéricos (dois dados numerados e solicitar adicionar e subtrair); Outro jogo com o mesmo objetivo é o Boliche atividades com a escala cruzinaire;

Trabalhar a conservação, a seqüência e a composição e decomposição numérica utilizando material dourado.

Cartaz de pregas.

Material sobre-por.


 

RECURSOS: Material didático, sucatas entre outros.

AVALIAÇÃO:

A avaliação será feita através de questionamentos orais e observação do desenvolvimento e participação das atividades dirigidas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário